Jubarte-no-Rio-2 Baleias Jubarte de volta ao Brasil: onde e como observar com segurança

Baleias Jubarte de volta ao Brasil: onde e como observar com segurança

Esta temporada de observação das baleias Jubarte na costa brasileira promete ser especial! Os primeiros avistamentos indicam que a população aumentou e que a espécie está se recuperando, para alegria de pesquisadores e turistas.

Nos arredores de Ilhabela, litoral norte de São Paulo, já foram avistadas mais de noventa, entre Abril e a primeira quinzena de Junho. Isso é o triplo do ano passado, segundo a Prefeitura de São Sebastião.

Para os pesquisadores também significa que a temporada reprodutiva começou mais cedo. É que, normalmente, o período de avistamento das Jubarte no Brasil vai de Junho a Outubro, nas costas Sudeste e Nordeste.

Assim, logo elas também deverão ser vistas no Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia. Mas é fundamental utilizar serviços turísticos autorizados, com monitores bem preparados, para observar em segurança e sem oferecer risco à população de baleias.

Então, para encontrar e reservar esses serviços, procure seu agente de viagens. Mas, se ainda não tem um profissional da sua confiança, pode contar com a consultoria da nossa agência parceira, a Embarque40Mais Viagens.

A jornada das baleias Jubarte até o Brasil

As baleias Jubarte vêm de uma migração de aproximadamente 4 mil Km, pois sua jornada começa desde a área de alimentação, nas ilhas Geórgia do Sul. Até que chegam às águas brasileiras, para reprodução e amamentação dos filhotes durante o inverno e a primavera. A estimativa é que a população brasileira esteja perto de vinte mil baleias Jubarte.

De acordo com pesquisadores do Projeto Baleia Jubarte, os recentes avistamentos na região de Ilhabela indicam que elas estão recuperando sua área original, anterior ao período de caça predatória. Além disso, essa recuperação gera uma presença mais prolongada da espécie em águas brasileiras.

SP e Rio no circuito do turismo de observação das Jubarte

Jubarte-salto-Ilhabela-1024x683 Baleias Jubarte de volta ao Brasil: onde e como observar com segurança
Salto de baleia Jubarte em Ilhabela, litoral norte de São Paulo

Mas nem precisa dizer que uma temporada de baleias mais longa também será ótima para a economia dessas cidades litorâneas. O turismo de observação desses animais já contribui com a geração de emprego e renda em comunidades da Bahia e do Espírito Santo. Assim, a expectativa agora é que Rio e São Paulo também entrem no circuito.

Só que isso precisa acontecer de forma sustentável. Então, o Projeto Baleia Jubarte está organizando um programa de capacitação para operadores turísticos de Ilhabela. Uma parceria com a Tauassu Consultoria Ambiental, Projeto Baleia à Vista e Prefeitura Municipal permitirá a realização do programa.

Conscientização para turismo sustentável

O objetivo é fomentar o conhecimento das normas e sobre a interpretação do comportamento das baleias e golfinhos. Por isso, a Prefeitura de São Sebastião, de onde partem muitos barcos para o avistamento, já criou uma campanha de conscientização e orientação.

No Rio, a ideia é e ampliar a parceria com o Projeto Baleias e Golfinhos do Rio de Janeiro, que há anos registra a presença crescente das jubartes. A seguir, as principais dicas para observar as baleias Jubarte com segurança e sem incomodar.

Dicas para observar as baleias Jubarte:

Nadar com as Jubarte é proibido;

Mantenha distância de pelo menos cem metros das baleias;

Navegue de forma paralela, sem bloquear ou interromper o caminho das baleias e não vá em direção direta a elas;

Em uma região com baleias, mantenha o motor no modo neutro, porém ligado;

Não as encurrale entre a embarcação e a costeira;

A aproximação de aeronaves, de qualquer porte, em altitude inferior a cem metros do nível do mar é proibida.

Sobre o Projeto Baleia Jubarte

O Projeto Baleia Jubarte, do Instituto Baleia Jubarte, atua há mais de trinta anos na pesquisa e conservação das baleias-jubarte e do ambiente marinho no Brasil. O patrocínio é da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e integra a Rede BIOMAR. Dessa forma, as ações do Projeto incluem pesquisa científica, turismo responsável, educação ambiental e atividades de conservação, em contribuição à recuperação da população de jubartes do Atlântico sul ocidental.

Para os fãs da vida marinha, também pode ser interessante saber sobre a observação de Orcas na Patagônia Argentina.

Referências: Notícia editada pela jornalista Michele da Costa, com informações e imagens do Projeto Baleia Jubarte e informações da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo.

Michele da Costa

A jornalista Michele da Costa é autora e editora responsável pelo EMBARQUE40MAIS.COM. Do interior de São Paulo, adora conhecer lugares, culturas e contar boas histórias. Com mais de vinte anos de experiência, encontrou no Turismo uma nova fonte de conhecimento e inspiração.

Adoraríamos saber sua opinião!