Site icon Embarque40Mais

Convenção de Itu: o encontro que mudou a história do Brasil

Museu-Republicano-AI-3 Convenção de Itu: o encontro que mudou a história do Brasil

Sala da Convenção de Itu, no Museu Republicano. Foto: Divulgação

Há exatos 148 anos era realizado um encontro na cidade de Itu, interior de São Paulo, que se tornaria um marco importante na história do Brasil: a Convenção de Itu. Cafeicultores, empresários, advogados, jornalistas e artistas reuniram-se no sobrado da família Almeida Prado, em 18 de Abril de 1873. 

Insatisfeitos com a situação do Brasil Império, eles decidiram dar início a uma campanha para que o país se tornasse República. A Convenção Republicana de Itu começou às 17 horas, reunindo 133 homens de dezessete cidades paulistas e dois do Rio de Janeiro. 

Entre os convencionais, Bernardino de Campos, Campos Sales, Francisco Glicério, Washington Luís e Prudente de Moraes. Nomes que se destacariam na política nacional, a exemplo de Prudente de Moraes e Campos Salles, 1º e  2º presidentes civis da República do Brasil. 

Convenção de Itu debateu grandes temas nacionais

Saguão do Museu Republicano em Itu (SP)

O encontro foi considerado a primeira reunião oficial dos republicanos no estado de São Paulo. Mas o Manifesto da Convenção registra a discussão de três grandes temas: a autonomia das províncias através do regime federativo, a contraposição ao regime monárquico e a libertação da mão-de-obra escrava.

Assim, ao final da reunião estavam lançadas as bases para a fundação do Partido Republicano Paulista (PRP) e, por consequência, do fim do Império e início da República. A Proclamação da República ocorreu em 1889, mas quem assumiu o poder foram os militares, que tinham executado a deposição do Império.

Os primeiros dois presidentes do Brasil República foram os marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Os republicanos só chegaram ao poder efetivamente em 1894, com a eleição direta de Prudente de Moraes.

Linha férrea foi decisiva para Itu sediar convenção

Trem Republicano: roteiro temático entre Itu e Salto. Foto: Michele da Costa

Então, um dos fatos mais curiosos dessa história da Convenção de Itu é que a Ituana foi determinante para a escolha da cidade como sede do evento. A inauguração da linha férrea, ligando o polo cafeicultor a Jundiaí e ao Porto de Santos, aconteceria um dia antes do encontro (17 de Abril).

A disputa era entre Itu e Campinas. Mas a ferrovia simbolizava o progresso econômico de Itu e o grande prestígio dos fazendeiros da região, que haviam idealizado e pago por ela. Por isso, embora importantes nomes campineiros estivessem na lista dos convencionais, Itu foi a escolhida.

Aliás, o trecho da ferrovia entre Itu e Salto foi restaurado recentemente e pode ser percorrido a bordo do Trem Republicano. O roteiro turístico tematizado tem duração aproximada de uma hora.

Sobrado da Convenção sedia Museu Republicano 

Azulejos portugueses na fachada do Museu Republicano de Itu. Foto: Michele da Costa

Cinquenta anos depois, o sobrado onde aconteceu o encontro histórico no interior de São Paulo passou a sediar o “Museu Republicano Convenção de Itu”. Assim, o prédio do início do século 19 se transformou de residência familiar a abrigo de importante momento da história do Brasil. 

Mas o acervo retrata também a história de Itu e região, conforme aponta a professora Maria Aparecida de Menezes Borrego, supervisora do museu. Isso porque vários personagens da Convenção nasceram e viveram por ali. Alguns móveis e outros objetos que pertenceram a ilustres republicanos estão expostos no Museu.

Além disso, outras exposições, como “Mulheres em destaque nas ruas da cidade” e objetos do acervo expõem referências históricas e culturais de Itu e região. Essa exposição sobre as mulheres destaca personalidades femininas que foram homenageadas com a denominação de ruas em Itu.

Contudo, o sobrado por si só é uma grande referência histórica dos costumes e tradições de uma típica família de cafeicultores da época. Em estilo neoclássico, tem azulejos portugueses na fachada. O saguão de entrada também é decorado com azulejos, com imagens alusivas a momentos da história de Itu e do Brasil. 

O jardim, nos fundos do terreno, integra a paisagem de época, com estátuas de mármore representando as estações do ano. Também tem um chafariz, trazido do antigo palácio do governo em 1939.

Visita virtual ao Museu Republicano Convenção de Itu

Jardim no Museu Republicano de Itu

Mas o destaque do Museu Republicano Convenção de Itu não poderia ser outro senão a Sala da Convenção (foto destacada). Lá estão expostos mobiliário de uma sala de visitas da época e quadros com pinturas de participantes que coordenaram o encontro. 

Oscar Pereira da Silva, Tarsila do Amaral e Henrique Manzo estão entre os artistas que fizeram esses retratos. No entanto, as grandes preciosidades em posse do Museu são a Ata e o livro com assinaturas dos 133 participantes da Convenção.

O Museu (à Rua Barão de Itaim, 67) está fechado há um ano, devido a restrições impostas pela pandemia de Covid-19, mas pode ser visitado gratuitamente pela internet. Assim, o tour virtual no Museu Republicano de Itu nos permite percorrer espaços e ver boa parte do acervo e exposições do museu. A visita é acessível a pessoas com deficiência visual ou auditiva.

Referências

Texto da jornalista Michele da Costa, com imagens obtidas em visita virtual ao museu e informações da assessoria de imprensa do Museu. Outras referências são o texto guia da visitação ao Museu Republicano e o Informativo da Divisão de Acervo Histórico da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), edição nº 24, de Novembro e Dezembro de 2019.

Sair da versão mobile