Um tempo para mim em Lisboa, a bela capital portuguesa

Um tempo para mim em Lisboa me permitiu relaxar e refletir sobre minhas escolhas e o significado daquela viagem, que era um sonho realizado aos 44 anos de idade!

À beira do Tejo, em Lisboa, sentei e sorri. Sem pressa, sem compromisso ou preocupação, apenas sentindo os raios do Sol e o vento leve que tocava minha pele suave e agradavelmente. De uma ponta à outra do rio os pores do Sol foram simplesmente os mais lindos que já vi!

Caminhar à margem do Rio Tejo também é muito prazeroso! Algumas vezes, fiz o percurso da Praça do Comércio até o Mercado da Ribeira, olhando o movimento da água, as aves, as embarcações e as pessoas, vestindo, gesticulando e falando suas origens e culturas tão variadas (confira o vídeo, no final).

Um tempo para mim em Lisboa: Raios de Sol refletindo no Rio Tejo e Ponte Basco da Gama
Sol poente deixa Pte Vasco da Gama dourada (Pq. das Nações, Lisboa)

Foi um tempo comigo mesma, tempo de refletir profundamente sobre minhas escolhas e caminhos até ali e, às vezes, não pensar em nada, só sentir. Algumas dessas reflexões foram justamente sobre estar ali, aquela viagem, que era um verdadeiro sonho para mim, e que acabaram me dando a ideia do blog.

Aos 44 anos, com dois filhos já crescidos e uma poupancinha para bancar o passeio em modo econômico, estava finalmente fazendo minha primeira viagem internacional.

Foram 35 dias de extrema sensação de liberdade e alegria! Não ter que se preocupar com mais ninguém além de mim, não ter que fazer nada que não desejasse. Longe das obrigações e o estresse habitual da rotina urbana, tão massacrante. Pensa?!

Por que Lisboa para esse tempo pra mim?

Nesse tempo para mim em Lisboa também teve banho de Sol à beira Tejo
Banho de Sol após almoço, no Pq. das Nações (Lisboa-PT)

Escolhi Lisboa porque minha prioridade de viagem ao exterior sempre foi a Europa, então decidi começar pela terrinha. Creio que esse “retiro” pode ser em qualquer lugar onde a gente possa relaxar da “vida louca”, ficar em paz. Só recomendo não ir muito perto de casa porque aumenta o risco de aparecer alguém perguntando onde está aquela jaqueta ou dizendo que está com fome. Rs.

É claro que família, filhos a gente ama incondicionalmente, quer cuidar, estar perto, apoiar, mas você que é mãe, pai (ou os dois, se necessário) ou tem outros familiares que exigem cuidados diários, sabe do que falo.

Em alguns períodos dessa jornada, dificilmente temos tempo para nós, para olhar para dentro da gente, para nos dedicar a pequenas coisas que nos fazem bem, por absoluta falta de tempo. Isso tudo aliado a trabalho e tantas, mas tantas burocracias da “vida moderna”.

Saindo da “Matrix”

Rio, ponte, pedras, pessoas e prédios no contra luz
Ponte 25 de Abril e Cristo Rei no contra luz, Centro de Lisboa

Embarquei para Portugal com uma amiga, mas, como ela tinha que se dedicar a compromissos pessoais, fiz vários passeios sozinha, o que também foi muito bom! Pude escolher onde e quando ir ou até ficar horas no mesmo lugar só observando a paisagem.

Foi ótimo! Uma experiência que recomendo a todo mundo e pretendo repetir sempre que puder. Simplesmente se desligar da “Matrix”! Outro lugar por onde gostava de caminhar em Lisboa à beira Tejo era no Parque das Nações, região onde ficamos hospedadas por mais tempo.

Tempo para mim em Lisboa teve estadias em Belém e Pq das Nações

Ao contrário do Centro Histórico e de Belém, onde estivemos antes, o Parque das Nações é a parte mais moderna da cidade, cheia de verde, avenidas largas e arranha céus. É também onde fica a bela estação Oriente, que liga Lisboa a outras cidades portuguesas e países da Europa.

Ave sentada em mureta à beira de lago. Árvores ao fundo
O descanso da ave. Parque das Nações, Lisboa (Portugal)

Em outro post, falo mais desse período com várias dicas para roteiro no Parque das Nações. Menciono aqui para dar ideia de como era prazeroso andar por aqueles lados, almoçar um belo bacalhau com um bom vinho, depois só deitar no banco à beira do rio para tomar um solzinho, ouvindo o barulho da água e o burburinho dos passantes.

Caminhar pela Vila de Sintra (região de Lisboa) também era delicioso, me perder por suas ruelas, parques e castelos seculares.

✈️Quer auxílio profissional para planejar sua próxima viagem? Pode contar com a consultoria personalizada da Embarque40Mais Viagens, a agência do blog. Desde a escolha do destino, hospedagem, passagens aéreas e passeios, até um roteiro exclusivo! ☎️(19) 988.380.781. WhatsApp: https://wa.me/5519988380781. [email protected] Cadastur: 29.325.163/0001-26.

Além de Lisboa, essa viagem também inclui uma rápida visita a Barcelona, a capital da Catalunha, na Espanha. Meu roteiro de dois dias foi bem corrido, mas inesquecível e deu para relaxar um pouco no Parque Güell e durante as caminhadas pelas Ramblas e Bairro Gótico. É, essa viagem foi um tempo para mim. E como foi bom!

Vídeo “Vida à beira Tejo”

Movimentação em calçadão à beira do Rio Tejo, em Lisboa. Do nosso canal no YouTube

Referências:

  • A viagem de Michele a Portugal e Barcelona ocorreu entre Outubro e Novembro de 2017, com duração total de 35 dias.
  • Toda a viagem foi paga por ela, com exceção de alguns bilhetes de entrada em museus e monumentos históricos, aos quais teve acesse como jornalista credenciada.

E você, já fez uma viagem desse tipo? Conte nos comentários!

4 Comments

  1. Michele, vi você à beira do Rio Tejo apreciando a bela paisagem. Posso imaginar seu período de distanciamento para se enxergar por dentro. Não há coisa melhor para fazer quando podemos. Fico contente que tenha realizado um dos seus sonhos, porque sei que tem muitos outros!

  2. Layr da Rocha PItta

    11 de abril de 2018 at 12:36

    Gostei muito das fotos,lindas.Interessante a que você conseguiu a com o pássaro!!! Maravilha quando chega nossa hora de fazer tudo que desejamos! Parabéns!

    • Michele da Costa

      11 de abril de 2018 at 12:49

      Muito obrigado, Layr! Siga o blog por email, assim será avisada sempre que fizermos uma nova postagem. Bjs

Adoraríamos saber sua opinião!

© 2020 Embarque40Mais

Theme by Anders NorénUp ↑

%d blogueiros gostam disto: