TagBarcelona

Viagem a Portugal: Alimentação, internet e passeios

Quanto custa comer e fazer passeios em viagem a Portugal? E a internet, como funciona? Minhas experiências e dicas simples para aproveitar mais e gastar menos em Lisboa (PT) e Barcelona (ES).

Mulher sentada à mesa, com taça de vinho e prato com posta de bacalhau, batatas e couve.
Encantada com a beleza e aroma do Bacalhau aos Murros: Uma das especialidades da culinária portuguesa

Malas prontas, tudo certo e, enfim, embarcamos naquela viagem internacional que a gente tanto queria! Mas é só desembarcar e já descobrimos que faltou alguma coisa no planejamento.

Foi assim comigo, marinheira de primeira viagem, como diria minha avó, quando cheguei a Lisboa (Portugal). Me dei conta de que não tinha pesquisado o suficiente sobre os serviços de internet e telefonia, que iria precisar tanto, tampouco sobre onde comer e quais passeios iria fazer ao certo.

Tive que explorar e descobrir tudinho in loco. É, não sou uma pessoa viajaaada, como alguns blogueiros top master e jornalistas especializados em turismo. Essa foi minha primeira viagem internacional, aos 44 anos. Por isso, o que ofereço aqui são opiniões sinceras de alguém curioso, que ama conhecer lugares novos e contar histórias. Espero ajudar um pouquinho.. Vamos lá!

Rosto de mulher, com sala azulejada ao fundo.
No Palácio Nacional de Sintra (Portugal)

Comunicação

As principais operadoras de internet e telefonia móvel em Lisboa são Vodafone, Meo e Nos, com chips/ planos decentes a partir de 7 Euros por 15 dias. Em Lisboa, usei a Vodafone, que funcionou muito bem, mas como o chip que tinha não funcionaria fora de Portugal, quando fui a Barcelona optei por levar um chip da Meo (um pouquinho mais em conta) e me dei mal.

Naquela correria, tentei várias vezes e não funcionou, não havia loja da empresa na cidade e, na volta, como eles conseguiram instalar o chip no meu celular, não me reembolsaram. Conclusão: fiquei sem comunicação por quase três dias e perdi 10 Euros.

P_20171025_134826_vHDR_On (2)
Na padoca: Risoto + chopp + café a 10 Euros

Então, se for a outros países da Europa, sugiro já escolher uma operadora ou plano que funcione e ofereça suporte em todos os seus destinos. Depois soube que há serviços que podem ser adquiridos antes mesmo da viagem, aqui no Brasil, como os chips da EasySim4U, que a gente recebe em casa. Claro que dá pra ativar o roaming da sua operadora do Brasil, para que seu chip funcione no exterior, mas isso costuma sair consideravelmente mais caro. Pesquise.

Em hotéis, pousadas e até mesmo alguns locais públicos costuma ter rede Wi-fi gratuita, mas por segurança não aconselho usar para acessar bancos e fazer compras. Ah, e leve um clipe (desses de papel), que é ideal para abrir o compartimento do celular onde o chip deve ser colocado ou trocado, mas a ponta de um brinco também pode servir. Descobri depois de padecer tentando de tudo, rs.

Prato de bacalhau com batatas aceboladas e azeitonas.
O Bacalhau à Narcisa, do João do Grão

Alimentação

Dá pra fazer uma boa refeição em Lisboa sem precisar gastar horrores, com valores que variam de 5 a 25 Euros, da boquinha rápida na padaria da esquina ao restaurante tradicional à la carte.

Como minha estadia foi longa e a grana curta, eu tive que economizar, mas também foi ótimo para conhecer o que os portugueses comem no seu dia-a-dia, em restaurantes e lanchonetes fora da zona turística, e não é aquele bacalhau gourmet.

Conversando com uma moça do interior, muito simpática, que conheci na pousada, soube que na real o bacalhau vai à mesa das famílias comuns portuguesas somente em datas festivas, como o Natal. Carne vermelha também é pouco comum, pois é importada, portanto mais cara.

Come-se com mais frequência carne de porco e de peru, cuja popularidade e preço são semelhantes às do frango no Brasil, mas, cá entre nós, peru é muito melhor, né?  A maioria das refeições que fiz custaram em média 10 Euros.

P_20171108_152450_vHDR_On
O delicioso Bacalhau com Natas, do D’Bacalhau

Se estiver hospedado em local com cozinha, também dá pra economizar preparando algo rápido ou comprando comida pronta em supermercados, que só precisa aquecer, por 2 a 3 Euros. Fiz isso várias vezes no jantar. Concluindo, é possível passar a maior parte dos dias gastando 15 Euros ao dia com alimentação. Mas é claro que não dá pra conhecer a cultura de um povo sem provar sua culinária tradicional.

Mulher sentada em poltrona, com taça de sorvete à mesa.
Provando sorvetes especiais em Lisboa

Então, experimentei, sim, algumas delícias locais, como variados pratos preparados com bacalhau e os pasteizinhos de nata, em Portugal; a paella espanhola e os churros com chocolate quente, em Barcelona. Hummm…Em ambos os países, essas delícias ao custo de 20 a 25 Euros por refeição, inclusos bebida e sobremesa.

Em Lisboa, recomendo dois restaurantes onde comi muito bem várias vezes, com bom custo-benefício: O D’Bacalhau, no Parque das Nações, que oferece uma grande variedade de preparo, mas o meu preferido foi o “Bacalhau com Natas”, um tipo de escondidinho de lascas de bacalhau com molho branco (natas= creme de leite); e o João do Grão, no Centro Histórico (região da Baixa), com destaque para o “Bacalhau à Narcisa”.

Construção antiga, em forma de torre, com rio ao fundo.
A Torre de Belém, em Lisboa

Passeios

As entradas para a maioria dos museus e monumentos históricos da região de Lisboa e em Barcelona podem ser adquiridas antecipadamente via Internet (sites oficiais autorizados), o que pode sair um pouco mais barato e garantir acesso no dia e hora desejados. No site da Parques de Sintra, que administra os palácios e parques turísticos de Sintra (Portugal), por exemplo, os ingressos saem com 5% de desconto.

Como não sabia ao certo quando iria a cada local, comprei alguns na hora e em outros tive acesso livre como jornalista/ imprensa. Dos lugares que visitei, os valores dos ingressos variaram de 2 a 15 Euros.

Há também a possibilidade de sua estadia coincidir com datas em que a visitação é gratuita, a exemplo do Museu Picasso (Barcelona), todas as quintas-feiras das 18h às 21h30; no primeiro domingo de cada mês, das 9h às 20h30; e nos dias 18 de maio e 24 de setembro.

Visão de pátio interno de construção antiga, com escada, janelas, portas e vegetação.
Pátio interno do Museu Picasso, em Barcelona (Espanha)

Ou, ainda, oferecer gratuidade a determinados profissionais (como dos segmentos de Patrimônio e Turismo) e idades (até 12 anos) na Torre de Belém, em Lisboa. Agora, se não quer preocupação, uma boa opção é comprar antecipadamente passeios que incluam os ingressos, além de transporte e guia turístico em alguns casos.

Podem ser adquiridos em agências de viagens ou pela internet, de empresas que oferecem passeios para variados gostos e bolsos, a exemplo da VIATOR, da qual o Embarque40Mais é afiliado.

Saiba mais sobre valores e gratuidades no Museu Picasso
Saiba mais sobre valores e gratuidades na Torre de Belém

  • Michele da Costa é jornalista e autora do blog. A viagem dela durou 35 dias, dois deles em Barcelona (Espanha), entre outubro e novembro de 2017. Fotos autorais.

Apoie o Embarque40Mais: Compartilhe os posts, siga nossos perfis nas redes sociais e utilize nossas dicas de serviços! É prático, seguro e você não paga mais por isso. Assim, a gente poderá trazer mais informações e dicas pra você. Confira:
Hospedagem: BOOKING
Seguro Viagem: SEGUROSPROMO
Passagens Aéreas: PASSAGENSPROMO
Aluguel de carro: RENTCARS
Passeios: VIATOR
Obs.: É necessário acessar os serviços pelos links disponibilizados aqui no blog, caso contrário não seremos remunerados. Obrigado!

  • Quer saber mais sobre o planejamento e dicas dessa minha viagem a Portugal? Então veja também:

Como planejei minha viagem a Portugal: erros e acertos
Dicas de transporte local em Lisboa e Barcelona

Como planejei minha viagem a Portugal: erros e acertos

Aprenda com meus erros e acertos de planejamento de viagem a Portugal e Barcelona: documentos, passagens aéreas, hospedagem, seguro e moeda local.

mulher e esteira de aeroporto ao fundo
Chegada no aeroporto de Lisboa: cansada, feliz e ansiosa

Algumas pessoas pediram dicas de como planejei minha viagem de 35 dias a Portugal e Barcelona, realizada entre Outubro e Novembro de 2017. Então, decidi compartilhar essa experiência.

A gente sabe que usufruir de uma boa viagem é o que todo mundo quer, mas pra chegar lá é necessário se organizar e planejar tudo direitinho ou contar com a assessoria de uma boa agência para cuidar de todos os detalhes.

Comecei a planejar essa viagem uns três meses antes, pesquisando pela internet, mas quase todas as decisões foram tomadas nas últimas semanas, por isso acabei gastando mais com passagens aéreas e hospedagem.

Viajei com uma amiga e, como nesse meio tempo ela assumiu compromissos pessoais que impunham prazo para estar lá, isso reduziu um pouco nossas possibilidades.

Passagens ou pacote?

Voo de volta (1)
Voo de volta em manhã ensolarada, logo após decolagem em Lisboa

Sugiro comprar as passagens aéreas com antecedência de 3 a 5 meses. Pode aparecer uma super oferta de última hora, mas é imprevisível, arriscado, principalmente se você precisar viajar em um período determinado, como as férias. Nós optamos por comprar as passagens separadas da estadia e demais serviços para ter mobilidade, já que ficaríamos por um período mais longo que a média.

Compramos as passagens mais ou menos um mês antes da data de embarque, então os valores não foram dos melhores. Uns quatro meses antes, teríamos tido uma economia de aproximadamente 40%. Mas os valores também variam um pouco conforme o período do ano em que se pretende viajar.

Por exemplo, para Portugal a maior demanda de turismo costuma ser na primavera e verão do hemisfério norte, então no outono e inverno (21 de setembro a 20 de março) os valores são mais baixos, tanto para passagens aéreas quanto para hospedagem.

Para Portugal (ida e volta), comprei as passagens de voos diretos por meio de uma agência de viagens, já de Lisboa a Barcelona foi pelo site da companhia aérea. Fomos de classe econômica para Portugal, mas de uma próxima vez em uma viagem tão longa (10 horas) pretendo comprar um lugar com mais espaço entre as poltronas ou ir de classe executiva. Estou certa de que será um investimento baixo em relação ao benefício.

Voo de Lisboa a Barcelona

Cidade e Praia vistas de avião
Prestes a pousar em Barcelona (Espanha)

Para Barcelona embarquei sozinha e foi bem tranquilo, já que a duração do voo direto de Lisboa é de apenas 2 horas. Dica: sempre tenha consigo um aparelho com vídeos ou músicas e fone de ouvido, pois nunca sabemos o quanto barulhenta será a pessoa ao nosso lado.

Outra coisa, importantíssima, saia de casa com muita antecedência para o aeroporto, pois as distâncias que temos que percorrer dentro até chegar ao local de embarque podem ser enormes, tipo meia hora de caminhada a passos rápidos. Na volta ao Brasil, tive que correr, literalmente, para conseguir embarcar, depois de perder mais de uma hora na fila do Tax Free.

Tax Free X fila na alfândega

Havia apenas uma funcionária no guichê da alfândega em Lisboa! Detalhe, corri com uma mala pequena de rodinhas, mochila pesada e bolsa. Estresse e correria em vão porque ainda por cima não consegui ser atendida em tempo, então não obtive o reembolso do valor referente a alguns produtos comprados em Lisboa, mas consegui embarcar.. Ufa! Rs.

A regra do Tax Free é te devolver até 15% do valor de compras acima de 61,35 Euros em estabelecimentos credenciados, mas na propaganda ninguém te fala da burocracia e filas enormes que tem que enfrentar no aeroporto.

Hospedagem em Lisboa

Rua com prédios e carros
Rua de Belém- Lisboa onde ficamos hospedadas

Fizemos as reservas antecipadas da estadia completa em Lisboa. Os primeiros oito dias foram em um pequeno apartamento em Belém: valor mediano, sem luxo, porém com tudo novo, limpo e confortável, além do local ter nos mostrado ser bem seguro.

Mas só fizemos essa opção porque para esses primeiros dias não conseguimos vagas na pousada (hostel) escolhida, no Parque das Nações, onde ficamos todo o período restante, em quarto muito simples, mas privativo com banheiro, a um custo bem mais acessível (20 Euros/dia por pessoa).

Contudo, para períodos mais longos, como foi nosso caso, não recomendo ficar em hostel, a não ser que não se importe de ser acordado no meio da noite com barulho de porta batendo, gente falando alto e correndo pelos corredores.

Além disso, no caso deste que ficamos, depois de uma semana a gente já começou a sentir a mola torta dos colchões (bem usados) e ficamos cansadas do chuveiro que às vezes não esquentava.

Pelo que pesquisei antes de ir, uma boa opção para quem vai ficar em Lisboa por mais de 15 dias pode ser alugar uma pequena casa ou apartamento direto com o proprietário, mas precisa fazer a reserva com uns dois ou três meses de antecedência.

Hospedagem em Barcelona

Minhas duas noites em Barcelona foram em um hotel simples, no bairro de Gràcia, o Catalunya Park Guüell: quarto pequeno, mas confortável, sem café da manhã. Tomei café em uma padaria perto por 1/4 do valor cobrado no hotel.

O hotel fica a poucas quadras do Parque Güell e a algumas estações de metrô dos outros principais pontos turísticos, mas bem longe do aeroporto. Em uma próxima oportunidade darei preferência para uma região mais central. Foi corrido, mas fiquei muito feliz em ver lindas obras de Gaudí, entre outras coisas.


Se estiver planejando viajar, pesquise sua hospedagem com o Booking! É prático, seguro e você não paga nada mais por isso. Se confirmar a reserva pelo nosso link, nos ajudará a manter o blog. Obrigado!


Seguro de Saúde e outros documentos

Tela e teclado de computador, passaporte
Site da Embaixada de Portugal no Brasil

Para entrar em Portugal como turista (estada por até 90 dias), brasileiros não precisam de visto prévio (obtido na Embaixada), mas ao chegar lá é necessário apresentar alguns documentos às autoridades de fronteira (portos e aeroportos), sob risco de ser impedido de entrar.

Esses documentos são: passaporte com validade superior a pelo menos 3 meses da duração prevista para a estada; bilhetes de viagem (ida e volta); comprovante de alojamento (recibos de reservas em hotéis e pousadas); seguro saúde; comprovantes de que possui meios financeiros para suportar a estada, equivalentes a 75 Euros por cada entrada no país acrescidos de 40 Euros ao dia por pessoa.

Assim, para permanecer 15 dias em Portugal uma pessoa deve ter 675 Euros, o que na data da publicação deste post equivale a aproximadamente R$ 2.700,00.

Embora a maioria dos sites e blogs de viagem apontem a necessidade de se obter um seguro de viagem completo para entrar em Portugal, entre outros países da Europa, nos sites da Embaixada de Portugal no Brasil e do Consulado Geral de Portugal em São Paulo o único seguro mencionado entre os documentos necessários para brasileiros entrarem em Portugal é o de Saúde.

Brasileiros podem obter seguro saúde pública para Portugal

Não deixe de conferir todos os detalhes nos links mais abaixo e, em caso de dúvida, telefone para a Embaixada! E atenção, é possível obter sem custo o seguro saúde pública (Certificado de Direito à Assistência Médica ou PB4), por meio do Ministério da Saúde do Brasil, devido a acordo de cooperação mantido com o governo de Portugal.

Só que é necessário ser contribuinte do INSS e fazer o pedido com boa antecedência, devido aos prazos para a emissão do documento. Esse certificado permite que brasileiros sejam atendidos na rede pública de saúde de Portugal pagando o mesmo que os cidadãos portugueses, cujos valores são bem simbólicos e a qualidade muito boa.

Como descobri isso em cima da hora (uma semana antes), não deu pra mim dessa vez. O pedido deve ser feito na sede do MS do seu estado, que fica na capital. O acordo de cooperação internacional também inclui Cabo Verde e Itália.

Seguro Saúde para outros países da Europa

No meu caso, como já pretendia passar uns dias na Espanha e a cobertura de despesas médicas é o que mais encarece, precisei garantir o seguro saúde e optei pelo seguro de viagem completo, que inclui indenizações em casos de acidente, morte, perda de bagagem, etc. Os valores que cotei com as seguradoras brasileiras variaram de R$ 350 a R$ 600 para o período.

Na minha chegada, o único documento que o fiscal de fronteira portuguesa me pediu para ver foi o passaporte, mas não dá para contar com isso, claro. Vale destacar que, conforme acordo entre 25 países da União Europeia, uma vez que autorizada a entrada em qualquer um desses países, como Portugal, a pessoa pode circular pelos outros países membros sem a necessidade de passar pela autoridade de fronteira, por até 90 dias. Assim foi quando cheguei a Barcelona.


Se optar por fazer um Seguro Viagem, pesquise as ofertas do SegurosPromo e use o cupom EMBARQUE40MAIS para obter 5% de desconto! É prático, seguro e você não paga nada mais por isso. Se finalizar a compra pelo nosso link, nos ajudará a manter o blog. Obrigado!


Como levar moeda local para Portugal?

notas e moedas de Euros
Euros trocados para táxi e itens de feira

Também é recomendável comprar a moeda local do seu destino com alguma antecedência, pois se ficar em cima da hora e a variação cambial (Euro, Dólar, etc) estiver em alta, você terá que comprar ao menos uma parte de qualquer jeito, para não chegar sem nada. Eu optei por levar 60% do valor em cartão de viagem internacional (de débito) e o restante em dinheiro (Euros), mas acho que poderia ter sido 70%.

O cartão é mais seguro, com chip e senha, e também permite sacar dinheiro em alguns terminais, mas fica um pouco mais caro (para mim ficou R$ 0,20 a mais por cada Euro). Dá para comprar moeda estrangeira nos bancos no Brasil, mas pelo menos em relação ao que tenho conta, as casas de câmbio foram mais vantajosas.

Também pesquise antes via internet, em sites que reúnem várias operadoras e funcionam como leilões virtuais. Inclusive porque te dão ideia da variação cambial diária. Consegui um preço melhor online, mas ao negociar com uma casa de câmbio local ela cobriu a oferta.

Devo levar cartão de crédito internacional?

Pagar com seu cartão de crédito internacional também é uma opção, mas costuma ficar um pouco mais caro devido ao acréscimo do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), que varia conforme a cotação do Dólar, mas não deixe de levar como garantia em uma situação emergência.

Tive que usar o cartão de crédito para pagar as reservas de locação de um carro (única forma aceita online) e das hospedagens (o 1º dia de cada local + taxa de turismo), já que a outra forma, que seria a transferência bancária internacional, não compensa mesmo, a taxa cobrada é muito alta, independente do valor transferido ser pequeno (não varia).

Decidi levar parte em dinheiro porque tinham me dito que alguns pequenos comércios de Portugal ainda não aceitavam cartão. No fim, praticamente todos os lugares que fui aceitaram o cartão de débito, até mesmo bancas de jornais, só precisei mesmo de dinheiro vivo para pagar táxi, gorjetas e itens de feira.


Apoie o Embarque40Mais: Compartilhe os posts, siga por e-mail e nas redes sociais e utilize nossas dicas de serviços para organizar sua viagem com segurança e economia! Passagens aéreas e de ônibus, hospedagem, seguro viagem, aluguel de carro, ingressos para parques e passeios!

Ah, você não gosta de comprar pela internet ou precisa de ajuda? Então pode contar com nossos serviços de assessoria em viagens, enviando mensagem para [email protected]. Obrigado!

Quanto levar de Euros para Portugal?

Sobre quanto levar? Depende do seu perfil de consumo. Me disseram para garantir 50 Euros/dia para refeições, transporte e ingressos em museus e atrações turísticas, mas no dia a dia gastei menos, principalmente porque usei muito transporte público, com exceção de quatro corridas de táxi e o carro locado por dois dias.

Espero que essa minha pequena contribuição tenha sido útil! Veja também minhas dicas de transporte em Lisboa e Barcelona para você andar tranquilamente e aproveitar tudo de bom que essas belas capitais europeias oferecem! Tem ainda as dicas de Alimentação, Comunicação e Passeios dessa viagem..

Um tempo pra mim em Lisboa

À beira do Tejo, em Lisboa, sentei e sorri. Sem pressa, sem compromisso ou preocupação, apenas sentindo os raios do Sol e o vento leve que invadiam meus poros suave e agradavelmente. De uma ponta à outra, os pores do sol foram simplesmente os mais lindos que já vi!

Caminhar à margem desse rio também é muito prazeroso! Algumas vezes, fiz o percurso da Praça do Comércio até o Mercado da Ribeira, olhando o movimento da água, as aves, as embarcações e as pessoas, vestindo, gesticulando e falando suas origens e culturas tão variadas (confira o vídeo, no final).

Raios de Sol refletindo em rio e ponte, pedras e pessoas na beirada
Sol poente deixa Pte Vasco da Gama dourada e parece fundir céu às águas do Tejo. (Pq. das Nações, Lisboa)

Foi um tempo comigo mesma, de refletir profundamente sobre minhas escolhas e caminhos até ali e, às vezes, não pensar em nada, só sentir. Algumas dessas reflexões foram justamente sobre estar ali, aquela viagem, que era um verdadeiro sonho para mim, e que acabaram me dando a ideia do blog.

Aos 44 anos, com dois filhos já crescidos e uma poupancinha para bancar o passeio em modo econômico, estava finalmente fazendo minha primeira viagem internacional.

Foram 35 dias de extrema sensação de liberdade e alegria! Não ter que se preocupar com mais ninguém além de mim, não ter que fazer nada que não desejasse. Longe das obrigações e o estresse habitual da rotina urbana, tão massacrante. Pensa?!

Por que Portugal para esse tempo pra mim?

mulher deitada em banco de concreto. Calçada, grade e rio ao fundo
Banho de sol após almoço, no Pq. das Nações (Lisboa-PT)

Escolhi Portugal porque minha prioridade de viagem ao exterior sempre foi a Europa, então decidi começar pela terrinha. Creio que esse “retiro” pode ser em qualquer lugar onde a gente possa relaxar da “vida louca”, ficar em paz. Só recomendo não ir muito perto de casa porque aumenta o risco de aparecer alguém perguntando onde está aquela jaqueta ou dizendo que está com fome. Rs.

É claro que família, filhos a gente ama incondicionalmente, quer cuidar, estar perto, apoiar, mas você que é mãe, pai (ou os dois, se necessário) ou tem outros familiares que exigem cuidados diários, sabe do que falo.

Em alguns períodos dessa jornada, dificilmente temos tempo para nós, para olhar para dentro da gente, para nos dedicar a pequenas coisas que nos fazem bem, por absoluta falta de tempo. Isso tudo aliado a trabalho e tantas, mas tantas burocracias da “vida moderna”.

Saindo da “Matrix”

Rio, ponte, pedras, pessoas e prédios no contra luz
Ponte 25 de Abril e Cristo Rei no contra luz, Centro de Lisboa

Embarquei para Portugal com uma amiga, mas, como ela tinha que se dedicar a compromissos pessoais, fiz vários passeios sozinha, o que também foi muito bom! Pude escolher onde e quando ir ou até ficar horas no mesmo lugar só observando a paisagem.

Foi ótimo! Uma experiência que recomendo a todo mundo e pretendo repetir sempre que puder. Simplesmente se desligar da “Matrix”! Rs. Outro lugar por onde gostava de caminhar em Lisboa à beira Tejo era no Parque das Nações, região onde ficamos hospedadas por mais tempo.

Ao contrário do Centro Histórico e de Belém, onde estivemos antes, essa é a parte mais moderna da cidade, cheia de verde, avenidas largas e arranha céus. É também onde fica a bela estação Oriente, que liga Lisboa a outras cidades portuguesas e países da Europa.

Ave sentada em mureta à beira de lago. Árvores ao fundo
O descanso da ave. Parque das Nações, Lisboa (Portugal)

Em outro post, falo mais desse período e dou várias dicas para roteiro de um dia no Parque das Nações. Menciono aqui só para dar ideia de como era prazeroso andar por aqueles lados, almoçar um belo bacalhau com um bom vinho, depois só deitar no banco à beira do rio para tomar um solzinho, ouvindo o barulho da água e o burburinho dos passantes.

Caminhar pela Vila de Sintra (região de Lisboa) também era delicioso, me perder por suas ruelas, parques e castelos seculares.

Tempo pra mim em Barcelona

Em Barcelona foi bem corrido, mas deu para relaxar um pouco no Parque Güell e nas caminhadas pelas Ramblas e Bairro Gótico. Estive em Portugal e Barcelona entre Outubro e Novembro de 2017. Foi um tempo pra mim. E como foi bom!


Apoie o Embarque40Mais: Compartilhe os posts, siga-nos nas redes sociais e utilize nossas Dicas de serviços para organizar sua viagem! É prático, seguro, você não paga mais por isso e ainda pode obter descontos. Assim, a gente pode manter o blog, trazer mais informações e dicas para você! 


Vídeo “Vida à beira Tejo”

Movimentação em calçadão à beira do Rio Tejo, em Lisboa (Portugal)

© 2019 Embarque40Mais

Theme by Anders NorénUp ↑

%d blogueiros gostam disto: