TagMinas Gerais

Queijos mineiros premiados na França com 50 medalhas

Produtores de queijos mineiros são premiados na França! Minas Gerais, referência em gastronomia entre brasileiros, sediará 1º Mundial do Queijo do Brasil.

Nada menos que cinquenta do total de 56 medalhas conquistadas por brasileiros no “Mondial du Fromage et des Produits Laitiers” foram para produtores de queijo do estado de Minas Gerais. A quarta edição do evento aconteceu entre os dias 2 e 4 de Junho de 2019, na pequena cidade de Tours, região central da França. Participaram do concurso 952 produtos de quinze países, que foram avaliados por 135 juízes.

Entre os brasileiros premiados, quatro conquistaram o selo Super Ouro, categoria máxima do concurso. Outros seis foram classificados como Ouro, 23 Prata, e 23 como Bronze. O maior destaque entre os queijos mineiros premiados é para a região da Serra da Canastra, que obteve 24 das 50 medalhas. São Roque de Minas conquistou dezessete medalhas. Delfinópolis ficou com três medalhas, Medeiros e Bambuí com uma cada.

Os queijos mineiros premiados com Super Ouro são “Santuário do Mergulhão Curado”, de São Roque de Minas; “Queijo Vale do Gurita”, de Delfinópolis; e “Canastra do Ivair”, de São Roque de Minas. Na categoria Ouro, os medalhistas foram “Mineirinho”, de Araxá; “Rancho 4R (180 dias)”, da Canastra; “Fazenda Bela Vista (60 dias)”, de Alagoa; “Queijo Cruzília”, de Cruzília; e “Rancho das Vertentes” (Névoa Tronco de Pirâmide), de Barbacena.

Turistas podem conhecer produção de queijos mineiros premiados

Queijos mineiros premiados na França foram avaliados por 135 juízes
Concurso na França avaliou 952 queijos de quinze países. Crédito: Benjamin Dubuis/ Mondial du Fromage 2017/ Divulgação

Para 29% dos turistas que visitam o Estado, a gastronomia é a principal imagem que têm de Minas Gerais, segundo pesquisa realizada pela Secretaria Estadual de Cultura e Turismo. Entre os motivos estão a alta qualidade dos produtos, a variedade, os roteiros gastronômicos e os locais de produção que permitem visitas.

Entre esses locais estão fazendas de produção de queijos mineiros premiados. Para o restante do País, o queijo artesanal é o mais famoso produto típico mineiro. Queijos produzidos na região da Canastra, por exemplo, são registrados como Patrimônio Cultural e Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 2008.

Além da gastronomia, as cidades da Serra da Canastra têm vários atrativos turísticos, a exemplo do Parque Nacional da Serra da Canastra, da nascente do Rio São Francisco, das centenas de cachoeiras, pequenos povoados e fazendas. Em algumas fazendas é possível conhecer o sistema de produção dos queijos artesanais e a história de cada produtor.

Se pretende visitar a região, leia antes nosso post sobre as cachoeiras de águas cristalinas de Delfinópolis!

70 mil toneladas de queijos mineiros por ano

Minas Gerais é o Estado que mais produz queijos: nada menos que 70 mil toneladas por ano. Sete microrregiões produtoras merecem destaque: Serra do Salitre, Serro, Campo das Vertentes, São Roque de Minas, Cerrado, Triângulo Mineiro e Araxá.

E será em Araxá o 1º Mundial do Queijo do Brasil, nos dias 9 e 10 de Agosto deste ano, realizado pela SerTãoBras com apoio da Guilde Internationale des Fromagers e da Aqmara (Associação dos Produtores do Queijo Araxá). O evento deverá contar com a visita de uma comitiva da Guilde des Fromagers, dirigida pelo queijeiro francês Roland Barthélemy. Os queijos serão avaliados por um corpo de jurados especialistas, de diversos países.

Referências:

Com informações e imagens fornecidas pela Secretaria Estadual de Turismo de Minas Gerais. Foto destacada: Benjamin Dubuis/ Mondial du Fromage 2017.

Delfinópolis MG: mais de 150 cachoeiras de águas cristalinas

Entre a Serra da Canastra e o Rio Grande, repleta de cachoeiras de águas cristalinas, Delfinópolis-MG é o lugar perfeito para passar um tempo longe do estresse e rotina urbanos.

Cachoeira vista do alto, pessoas nadando, árvores e pedras
Cachoeira da Gruta, no Complexo do Claro, em Delfinópolis (MG)

A pequena Delfinópolis, em Minas Gerais, é um desses lugares que a gente deveria ir ao menos uma vez por ano. Suas lindas paisagens montanhosas e as cachoeiras de águas cristalinas parecem funcionar como purificadores da mente e da alma.

A tranquilidade da cidade de 7 mil habitantes, localizada entre o Rio Grande e o Parque Nacional Serra da Canastra, completam o ambiente perfeito para passar fugir do estresse. Estive duas vezes na cidade, em 2015 e na primeira semana de janeiro de 2018.

Delfinópolis: De bananais a paraíso ecoturístico

Placa grande, vegetação e rio
Em Cássia, prestes a embarcar na Balsa, vê-se Delfinópolis do outro lado do Rio Grande

Embora o potencial ecoturístico seja enorme, a principal atividade econômica de Delfinópolis ainda é a agricultura, com destaque para a produção de bananas. Para onde se olha além da pequena área urbana vê-se bananais, mas também há a pecuária e outros cultivos, como milho, café e cana-de-açúcar.

A expectativa é de que a frequência de turistas na cidade aumente bastante se for finalmente cumprida a promessa de construção de uma ponte sobre o Rio Grande, ligando a cidade à vizinha Cássia.

Travessia de balsa entre Cássia e Delfinópolis MG

Por enquanto, o jeito é fazer a travessia de balsa (1.800 metros), ao custo de R$ 23 para veículos de passeio. O caminho exclusivamente por terra é bem mais longo pra quem vai de São Paulo e outros estados do sudeste e sul.


Booking.com
  • Procurando hospedagem para sua estadia em Delfinópolis? Confira essa seleção do Booking com hotéis, pousadas, casas e apartamentos na cidade e escolha a melhor opção para você!

Mar de Minas

Rio e cadeia de serras ao fundo
Rio Grande, durante travessia de balsa entre Cássia e Delfinópolis (MG). Serra da Canastra ao fundo

Quando se fala dessa região muita gente comenta logo sobre “o Mar de Minas”, fazendo referência às águas do Rio Grande e suas represas, que, dependendo da incidência do sol, adquirem uma tonalidade azulada como mar.

O Rio Santo Antônio também corta a cidade, mas o maior espetáculo fica por conta da cadeia de serras, de onde brotam belíssimas cachoeiras: mais de 150, com desenhos diversos e águas cristalinas!


Vai viajar e precisa de serviços, como passagens aéreas ou de ônibus, hospedagem ou quer alugar um carro? Consulte nossas dicas de serviços para organizar sua viagem com segurança e economia! Você não paga a mais por isso, ajuda a gente a manter o blog e ainda pode ganhar descontos. 


Cachoeiras do Claro e Aqualume em Delfinópolis MG

Cachoeira Maria Cândida, em Delfinópolis (MG).
Cachoeira Maria Cândida, em Delfinópolis (MG)

Conheci as cachoeiras do Claro e do Aqualume, próximas ao Centro da cidade (5 a 6 km) e com boa estrutura (restaurante e área de estacionamento), mas são cobradas taxas de visitação: R$ 15 no Aqualume e R$ 20 no Claro.

O acesso às cachoeiras é a pé por pequenas trilhas. Até a parte alta do Aqualume, na cachoeira Maria Cândida, leva aproximadamente 15 minutos.

Já a parte baixa, com as cachoeiras Poço do Tesouro e Sempre Viva, fica bem ao lado do estacionamento e é uma boa opção para levar crianças, pois tem mais pontos de águas rasas e claras, mas também exige vigilância constante de adultos.

O acesso às quedas do Claro tem trechos mais difíceis e longos até chegar aos pontos mais elevados, como a cachoeira da Gruta. Recomendo levar água e usar um calçado fechado e aderente a pedras molhadas, usar protetor solar e repelente. É bom também levar um lanchinho pra garantir. 

O blog Viajei Bonitodicas de lanches práticos e baratos que a gente pode levar em passeios desse tipo. O exercício da subida é recompensado a cada parada por um bom banho de água fria e límpida e, às vezes, pode-se observar lindas borboletas azuis!

Caminhada pelo Centro de Delfinópolis

Foto noturna da Praça Central de Delfinópolis, em Minas Gerais.
Praça Central de Delfinópolis, em Minas Gerais, com a igreja matriz

Ah, e andar pelo centro da cidade também é muito agradável e tranquilo. Costumo dizer que em Delfinópolis os motoristas param o carro até mesmo para a travessia de galinhas, criadas soltas pelas ruas e praças.

Mas, se for caminhar à noite, tome cuidado para não pisar em um sapo, pois em alguns períodos do ano muitos deles circulam por ruas e calçadas e em locais pouco iluminados fica difícil enxergá-los.. rs.

Internet em Delfinópolis MG

Se precisar de internet móvel, consulte se o sinal de sua operadora chega ao local. Observei que os sinais da OI e da Claro são muito ruins lá. Ou, simplesmente fique desconectado e aproveite a natureza!

Gostou do post? Deixe um comentário, compartilhe com seus amigos e siga o blog por email e nas redes sociais (links no final da tela).

  • Aos amantes de trilhas e cachoeiras que planejam subir um pouco mais no mapa e ir até Goiás, uma boa pedida é a Cachoeira do Abade, em Pirenópolis! A dica é do blog Vamos Por aí
  • Mas, se sua intenção é explorar mais as Minas Gerais, que tal conhecer a capital? O blog Destinos e Afins dá boas dicas de o que fazer em BH em um dia. Confira!

Referências:

Com informações da Prefeitura de Delfinópolis (MG), disponíveis no site oficial. Os valores e dados mencionados foram obtidos com fontes oficiais, em janeiro de 2018.

© 2019 Embarque40Mais

Theme by Anders NorénUp ↑

%d blogueiros gostam disto: