fbpx

CategoryMundo

Viagem e turismo internacional

Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas

O que é preciso saber antes de viajar para turismo nas Bahamas? Exigências incluem testes de covid-19 antes do embarque, na chegada e a cada 96 horas de estadia. Não uso de máscara nos locais definidos pode gerar multa pesada e até prisão. Confira os detalhes!

Alta temporada à vista e a terceira fase de reabertura das Ilhas das Bahamas ao turismo também. Só que existem regras que devem ser seguidas à risca no planejamento da viagem. Afinal, tudo que se deseja é relaxar nas belíssimas praias de areia branca e mar azul turquesa desse grande arquipélago da América Central. 

A reabertura gradual das Bahamas ao turismo internacional começou em Julho, mas a exigência de 14 dias de isolamento desmotivou muita gente a seguir viagem. Mas isso só vale até o final de Outubro. 

A partir de 1º de Novembro os visitantes poderão circular livremente por todo o território. No entanto, nesta nova fase mais testes de covid devem ser feitos e pagos por quem vai fazer turismo nas Bahamas. 

Visitantes devem obter visto de saúde eletrônico

O primeiro teste, do tipo COVID-19 RT-PCR, deve ser feito 7 dias antes do embarque. Com o resultado negativo, o próximo passo é pedir o visto de saúde eletrônico, por meio de formulário online. A resposta leva até 72 horas.

Para obter o visto também é necessário pagar uma taxa, que inclui ao menos outro teste, do tipo rápido, realizado logo após o desembarque. Contudo, se a estadia for superior a 5 dias, o turista terá que fazer mais um teste rápido no 5º dia e outro a cada 96 horas a mais que ficar no país. 

O governo das Bahamas não definiu o valor da taxa a ser paga pelos testes até a data desta publicação. Crianças com até 10 anos de idade não precisam fazer os testes de covid.

Outros documentos necessários para turismo nas Bahamas

Bahamas-Freeport-3-1024x575 Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas
Belezas naturais são destaque nas Ilhas Bahamas (Freeport)

Além disso, para visitar as Bahamas é necessário apresentar o Certificado Internacional da Vacina contra Febre Amarela. Mas o viajante também precisa portar o passaporte, comprovantes de reservas de hospedagem e passagem de volta. O passaporte deve ter prazo de validade superior a 6 meses e uma folha em branco. 

O seguro viagem ou seguro saúde não é exigido para turismo nas Bahamas, mas é altamente recomendável. É que os custos dos serviços médicos no país são extremamente elevados, informa o Itamaraty.

Falando em seguro viagem, a boa nova é que já existem planos que incluem coberturas no caso do viajante adoecer por covid-19. Mas é fundamental consultar um agente de viagens para a escolha do seguro mais adequado às suas necessidades e você não paga nada a mais por isso!

Assim, se ainda não tem um profissional de sua confiança, pode contar com os serviços da Embarque40Mais Viagens, agência do blog.

Não uso de máscara gera multa ou prisão nas Bahamas

Bahamas-Nassau-1-1024x660 Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas
Uso de máscara é obrigatório em locais públicos das Bahamas

O uso de máscara cobrindo boca e nariz é obrigatório em locais de grande trânsito de pessoas nas Bahamas, como aeroportos, aviões, lojas, restaurantes e transporte público (inclusive táxis). Contudo, para tomar Sol nas praias o uso da máscara não é obrigatório, somente durante o percurso de chegada, saída e caminhadas.

As informações são de Juanita Arizo, representante do Ministério do Turismo das Bahamas no Brasil. Ela falou sobre a reabertura em live, no dia 15 de Outubro, com a participação de parceiros do trade. Quem não utilizar a máscara adequadamente nos locais exigidos estará sujeito à multa de 200 Dólares ou prisão por 30 dias ou, ainda, as duas coisas.

O que mudou nos hotéis para turismo nas Bahamas?

Bahamas-Freeport-1-1024x684 Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas
Atividades aquáticas estão disponíveis para turistas na retomada

Em hotéis e resorts, as regras para uso de máscara e distanciamento social variam um pouco. Mas, em geral, a máscara deve ser usada em locais fechados de maior circulação, como saguão, elevadores e restaurantes (exceto quando sentados à mesa durante as refeições).

Os hotéis praticamente aboliram o “buffet self service”. Eles servem as refeições nas mesas, em diferentes turnos, ou nos quartos.

A redução da taxa de ocupação máxima também é observada em muitos hotéis, podendo chegar a 50%, como é o caso do RIU. Já o transporte turístico, utilizado para passeios e traslados de hóspedes, deve ter ocupação máxima de 60%, informa Tino Varela, da DMC Nexus Tours.

Ainda há alguns hotéis que apostam na possibilidade de alteração do período da reserva sem multa, para deixar os hóspedes mais tranquilos. O Atlantis Paradise, por exemplo, oferece prazo de dezoito meses para remarcação gratuita. 

Dessa forma, as atrações tradicionais nas ilhas, como passeios de barco e mergulho, também voltam a funcionar normalmente, com os devidos cuidados.

De maneira geral, comerciantes e prestadores de serviços turísticos das Bahamas adotaram novos protocolos de segurança e limpeza conforme orientações das autoridades competentes.

Como chegar às Ilhas das Bahamas:

Bahamas-ilhas-877x1024 Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas
Ilhas das Bahamas: voos com conexão no Panamá e Cuba são alternativa aos EUA

As Bahamas são um país composto por 700 ilhas e 2 mil ilhotas no Oceano Atlântico Norte, América Central. Estão a apenas 88 km da costa da Flórida (EUA), por isso o acesso por meio de conexão em Miami é um dos mais usuais. 

As principais companhias aéreas que fazem essa rota com conexão nos EUA são American Airlines, Bahamas Air, Delta Airlines, Jet Blue e United Airlines. No entanto, ainda não há previsão de reabertura das fronteiras norte americanas para brasileiros, por conta da pandemia. Sem contar que uma simples mudança de aeronave nos EUA exige visto prévio e pago.

Mas existem outras opções de voos com conexão no Panamá ou em Cuba, viajando com a Copa Airlines. Visto prévio e documentos relacionados à saúde do passageiro não são necessários nos dois países desde que ele permaneça na área de trânsito (aeroporto). No caso de Havana (Cuba), esse período entre troca de aeronaves não deve ultrapassar 12 horas.

Como as condições de segurança são uma preocupação recorrente nesses tempos de pandemia, você também pode gostar de ler sobre o que mudou nas viagens de avião.

Mais informações para turismo nas Bahamas

Bahamas-Nassau-2-1024x683 Turismo nas Bahamas exige teste de covid a cada 96 horas
Patrimônio histórico e cultural a ser descoberto por turistas nas Ilhas Bahamas

As Bahamas são muito conhecidas por suas águas transparentes e belíssimas praias. Mas suas ilhas também oferecem aos turistas atividades de pesca, passeios de barco, mergulho, roteiros de jipe, moto, bicicleta e a pé. 

Além disso, a história e a cultura locais são um patrimônio a ser descoberto. A Ilha de San Salvador, por exemplo, é o primeiro local onde aportou a expedição de Cristóvão Colombo, em 1492, na chamada “descoberta das Américas”.

Outro atrativo interessante é um memorial, na Ilha Bimini, em homenagem a Martin Luther King, líder do movimento pelo fim da segregação racial na África do Sul.

A homenagem advém de uma visita de King às Bahamas, em 1968, que provocou grande impacto na população local, de maioria afrodescendente.

O idioma oficial das Bahamas é o Inglês, decorrente da colonização britânica. A independência foi conquistada em 1973. Entre suas principais ilhas estão Nassau (capital), Paradise Island, Andros, Exumas e Freeport. A moeda local é o Dólar Bahamense, equiparado em 1 para 1 com o Dólar Americano. 

O clima predominante nas Bahamas é o tropical, com temperaturas variando de 20º, no inverno, a 35º no Verão. A alta temporada turística é de Dezembro a Abril e a baixa de Junho a Novembro, mas é importante escolher um período com menor probabilidade de tempestades e furacões.

E então, essa notícia foi útil para você? Conte nos comentários e lembre-se que pode utilizar os serviços da Embarque40Mais Viagens para organizar o roteiro da sua viagem às Bahamas!

Referências:

  • Texto redigido e editado pela jornalista e consultora de viagens, Michele da Costa (direitos reservados);
  • Fotos das Bahamas fornecidas pelo ©Bahamas Ministry Of Tourism & Aviation (arquivo, tiradas antes da pandemia);
  • Com informações do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores do governo federal do Brasil), do Ministério do Turismo das Bahamas, da TM Latin America e da Copa Airlines.

Curso grátis de Francês online é oportunidade em quarentena

Fazer um curso totalmente grátis de Francês online é uma boa oportunidade, especialmente em tempos de quarentena e instabilidade econômica. Mais ainda se esse curso é de uma escola francesa, com 41 anos de experiência.

Com duração de um mês, o curso é oferecido pela France Langue, escola dedicada ao ensino da língua francesa a estrangeiros. A escola tem sedes nas principais cidades da França como Paris, Bordeaux, Lyon e até na ilha de Martinica, nas Antilhas.

Então, o conteúdo do curso grátis de Francês online da France Langue é adequado a todo a partir de 15 anos de idade (exceto iniciantes). O material é adaptado conforme o nível de conhecimento do estudante, medido na primeira lição.

Os links das lições são enviados por e-mail, diariamente, em conteúdo atual, com duração aproximada de 15 minutos.

Para fazer esse curso de Francês online o ideal é que a pessoa também tenha ao menos conhecimentos básicos de Inglês. Uma vez que as explicações e enunciados dos exercícios são na língua inglesa. Mas, sempre dá para recorrer a um programa de tradução online.

Por fim, ao concluir o curso, o aluno receberá um certificado digital. Para se inscrever, basta acessar o curso grátis da France Langue, preencher nome e e-mail e commencer à parler français! Mas antes, veja outras informações e dicas a seguir.

Aulas de francês online grátis são práticas e bem-humoradas

estudar-online-1024x682 Curso grátis de Francês online é oportunidade em quarentena
Aprendizado online enriquece durante distanciamento social

“Siga as aventuras de Victor Hugo enquanto ele explora o universo francófono. As aulas são bem-humoradas, práticas e incluem uma grande variedade de sotaques”, avisa a France Langue na apresentação do curso.

Essa dica de curso grátis de Francês online é da operadora de intercâmbios Águia, parceira comercial da Embarque40Mais Viagens, a agência de viagens do blog.

A oferta de cursos online de idiomas é a aposta do segmento enquanto durar a pandemia da Covid-19, que dificulta viagens ao país de língua nativa.

Assim, entendem que oferecer alternativas seguras de entretenimento e enriquecimento cultural seja uma forma de contribuição. Nesse período em que as pessoas estão nessa situação de isolamento, a expectativa é que elas possam expandir seus conhecimentos e fazer planos para manter vivos os seus sonhos.

O curso da France Langue é a única opção gratuita disponibilizada pela operadora nesse momento, sem data prevista para acabar.

Mas há uma boa variedade de cursos online de Francês, Inglês e outros idiomas importantes, como o Espanhol e o Italiano, a preços e condições especiais.

Sem contar que é possível economizar com as promoções atuais, começando a pagar agora por um intercâmbio para realizar daqui a 1 ou 2 anos. Para curso online ou intercâmbio, consulte sem compromisso!

As aulas via internet de língua inglesa são ministradas por mestres de tradicionais escolas do Reino Unido, Canadá e EUA.

Por que aprender Francês?

França-2-683x1024 Curso grátis de Francês online é oportunidade em quarentena
Aprendizado do idioma é muito útil em viagens

Muita gente se pergunta das razões para aprender Francês hoje em dia. Sabemos que o Inglês já é considerado item básico no currículo profissional. Então, dominar uma segunda língua estrangeira é um ótimo diferencial, não acha?

Há também quem diga que o Francês é a língua do futuro, o que pode fazer sentido diante da importância e crescimento do idioma.

Segundo estudo da Organização Internacional da Francofonia em parceria com a Casa Gallimard, entre 2014 e 2018 o número de falantes de Francês no mundo aumentou quase 10%, totalizando 300 milhões de pessoas.

Assim, o Francês é a 5ª língua mais falada depois do Chinês, do Inglês, do Espanhol e do Árabe. Contudo, costuma ser a terceira na preferência dos empregadores, depois do Inglês e do Espanhol.

Isso se deve à importância da cultura francesa na economia globalizada, já que o idioma está presente nos cinco continentes. O Francês também é a língua oficial em 32 estados e governos e na maior parte das organizações internacionais.

Além disso, essa é a Língua de ensino de mais de 80 milhões de pessoas, em 36 países e territórios.

E a maior parte dos falantes diários do francês está no continente africano (59%) e apenas 1,6% na América Latina e Caribe. Bora, aprender Francês e mudar essa estatística, gente?!

Curso de Francês para viagem online e gratuito

Mas, se é um aprendizado básico e rápido de Francês o que você deseja, o curso gratuito da Loecsen é uma boa opção. Mais ainda se estiver planejando uma viagem para um país de língua francesa. Já testei e achei a plataforma prática, atraente e agradável.

O curso é composto por dezessete lições, que vão desde as palavras e expressões mais básicas até a conversação e situações comuns em uma viagem, como pedir comida em um restaurante ou pegar um táxi.

Então, na prática, a gente lê, ouve, repete ao microfone, reproduz a gravação para conferir como ficou nossa pronúncia e ainda pode baixar textos e áudios para ouvir no celular.

Outra coisa bacana desse site, além de estar em Português, é que indica mais conteúdos e cursos disponíveis na internet para quem quiser ampliar os conhecimentos na língua estudada.

O mesmo modelo de curso é oferecido pela Loecsen para o aprendizado de outros 39 idiomas. Todos gratuitos!

Referências:

  • Com informações da Organização Internacional da Francofonia, das escolas e sites mencionados, disponíveis em 13 de Abril de 2020.
  • O tempo de duração da oferta de curso grátis de Francês online é indeterminado, depende exclusivamente da escola France Langue.

Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro

Quem vê de fora o prédio do antigo Convento da Madre de Deus, em Lisboa, Portugal, não pode imaginar a riqueza que guarda a pequena igreja de mesmo nome em seu interior. As paredes internas da Igreja da Madre de Deus são totalmente preenchidas por primorosas pinturas em azulejo, ornamentos em madeira talhada em ouro e muitas obras de arte.

Ali, tudo que reluz é ouro, sim, possivelmente levado do Brasil, já que a decoração foi realizada no período de maior exploração do metal na então Colônia (séculos XVII e XVIII), embora não haja documentos que comprovem isso. O brilho intenso e a riqueza de detalhes, especialmente no teto da cúpula sobre o altar principal, foi o que mais me chamou a atenção durante minha visita, em Novembro de 2017.

Madre-de-Deus-12-1024x683 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Cúpula sobre altar principal da Igreja Madre de Deus, Lisboa. Foto: ©Museu Nacional do Azulejo

A madeira da talha é originária de Portugal mesmo e não há um valor material estimado para todo esse patrimônio, informa a Assessoria do Museu Nacional do Azulejo, ao qual está integrada a Igreja. Já o patrimônio arquitetônico é reconhecido desde 1910, quando o prédio da Igreja da Madre de Deus passou a ser Monumento Nacional.

Uma rainha sob os pés do povo

Madre-de-Deus-7-768x1024 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Altar principal da Igreja da Madre de Deus. Foto: ©Museu Nacional do Azulejo

Uma das maiores curiosidades foi saber que ali está sepultada Dona Leonor, Rainha de Portugal entre 1481 e 1495. E não por acaso, já que foi ela quem mandou construir o Convento e a Igreja da Madre de Deus, no início dos anos 1.500. Mais curioso ainda é saber da histórica benevolência e humildade de D. Leonor em contradição à exuberância e riqueza material impressas na decoração do pequeno templo católico nos séculos seguintes.

Madre-de-Deus-10-e1553658732316 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Inscrição na campa onde foi sepultada a Rainha D. Leonor, na entrada da Igreja. Foto: ©Museu Nacional do Azulejo

Falecida em 1525, a soberana foi sepultada em uma “campa rasa no claustro” (sob o piso), na entrada da igreja, por onde passam obrigatoriamente fieis e visitantes. O local onde seria seu sepultamento foi definido por ela.

D. Leonor é conhecida como uma das monarcas mais importantes da história do País, responsável por dar início à criação na Europa de hospitais para os pobres, as nossas também conhecidas “Santas Casas de Misericórdia”. O hospital de Caldas da Rainha é o maior exemplo e o nome da cidade não é coincidência, também tem relação direta com D. Leonor.

Igreja Madre de Deus: do Manuelino ao Barroco

Madre-de-Deus-5-1024x665 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Fachada principal exterior da Igreja da Madre de Deus, em Lisboa. Foto: ©Museu Nacional do Azulejo

A discrepância entre a simplicidade da fachada da Igreja da Madre de Deus e seu interior, que comentei logo no início, explica-se por sua história. Se foi construída pela humilde Rainha D. Leonor, foi alterada e decorada pelos monarcas que a sucederam e ao seu esposo (Rei D. João II), como D. Pedro II, D. João V e D. José I, provavelmente deslumbrados e empanturrados com a riqueza levada das colônias, a exemplo do ouro e madeira brasileiros.

O saldo é uma fachada que, embora alterada, ainda expressa a arquitetura original manuelina e um interior predominantemente barroco. Os painéis de azulejo são provenientes da Holanda, de autoria de Willem van der Kloet e Jan van Oort. As séries de pinturas emolduradas com talha dourada, que retratam as histórias de São Francisco e Santa Clara, são de Bento Coelho da Silveira.

Madre-de-Deus-3-1024x644 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Detalhes em lateral no interior da igreja. Foto: ©Museu Nacional do Azulejo

A Capela de Santo António e o Coro, por exemplo, receberam assoalho de madeira do Brasil. Não são mais realizadas missas regularmente na Igreja da Madre de Deus, vinculada à Paróquia de São Francisco, somente algumas cerimônias especiais e casamentos. Faz parte do circuito de visitação do Museu Nacional do Azulejo, que recebeu 219,4 mil pessoas em 2018.

Sobre “templos maravilhosos” e a Igreja da Madre de Deus

Embora não seja nem o maior, nem o mais incrível que já visitei, para mim, a Igreja da Madre de Deus, em Lisboa, é um templo maravilhoso! Por sua arte e, principalmente, por sua história e relação com o Brasil. Afinal, não é todo templo que nos ofusca a visão de tanto ouro e que tem uma rainha do cacife de Dona Leonor “aos nossos pés”. Por isso, esse post integra uma blogagem coletiva sobre #templosmaravilhosos. Confira a lista mais abaixo!

Convento Madre de Deus deu lugar a Museu do Azulejo

Museu-do-Azulejo-13-1024x768 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Durante visita ao Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, Portugal

A utilização de prédios históricos como sedes de museus é mesmo algo que deu certo! E faz toda a diferença, pois a visita ganha muito mais sentido quando percorremos espaços que nos levam a “viajar no tempo”. A sensação que tenho às vezes é de que posso fazer parte daquela história, mas de certa maneira fazemos mesmo. A exemplo do Museu Nacional do Azulejo, sediado no antigo Convento da Madre de Deus, tantos outros em Portugal guardam relações com o nosso país.

E vice-versa! Possivelmente portugueses que visitarem também o Museu da Imagem e do Som de Campinas, em Campinas-SP-Brasil, sentirão o mesmo. O Museu fica no antigo Palácio dos Azulejos, que, aliás, tem esse nome porque boa parte da sua fachada foi decorada com azulejos portugueses. Bingo! Rs. Se quiser conferir, o post sobre essa visita está linkado acima.

Museu Nacional do Azulejo: 5 séculos de história

Museu-do-Azulejo-14-625x1024 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Fernando Pessoa, no traço de Julio Pomar, no Museu do Azulejo, em Lisboa. Foto: Michele da Costa

Eu gostei muito de conhecer o Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, Portugal! Percorrer cinco séculos de história, contada por meio de azulejos, foi especial. Sim, além de saber como o azulejo se tornou um dos maiores símbolos da cultura portuguesa, as obras nos permitem conhecer muito da história do País.

O acervo inclui desde os primeiros exemplares provenientes de Valência (Espanha), no final do século XV, até obras de artistas portugueses contemporâneos. Entre as peças que achei mais interessantes estão um retrato de Fernando Pessoa, no traço simples de Julio Pomar; e um grande painel que mostra Lisboa a partir da Baixa Pombalina, assinado por Jorge Barradas em 1954.

Está planejando viajar? Temos uma página com dicas de serviços que podem ajudar a organizar sua viagem. Passagens aéreas e de ônibus, hospedagem, seguro viagem, chip de celular internacional, aluguel de carros, passeios e mais.. E se quiser uma assessoria personalizada, também podemos ajudar. Confira!

Quanto custa visitar o Museu do Azulejo e a Igreja Madre de Deus?

Museu-do-Azulejo-4-768x1024 Na Igreja Madre de Deus-Lisboa tudo que reluz é ouro
Lateral exterior da Igreja vista de janelinha do Museu. Foto: Michele da Costa

ONDE: Rua da Madre de Deus, número 4, 1900-312, Lisboa, Portugal. * Meu post com dicas sobre transporte em Lisboa pode te ajudar a se locomover na cidade.

QUANDO: De terça-feira a domingo, das 10h às 18h (última entrada às 17h30).

QUANTO CUSTA: 5 € (Cinco Euros); +65 anos pagam meia (2,50 €).

MAIS INFORMAÇÕES: No site do Museu Nacional do Azulejo.

Mais posts sobre outros templos maravilhosos:

© 2021 Embarque40Mais

Theme by Anders NorénUp ↑

%d blogueiros gostam disto: